atendimento@linsen.com.br
Entre em contato conosco, ligue(27) 3075-6060
Por que é importante ir ao oftalmologista com frequência?

Nossos olhos estão entre as partes mais delicadas e importantes do corpo, por isso, cuidar deles é imprescindível. Entretanto, você se recorda da última vez que foi ao oftalmologista?

Pois é, geralmente costuma-se ir ao oftalmologista quando algo fora do comum, como uma vista embaçada, por exemplo, começa a incomodar. No entanto, este não é o comportamento indicado por médicos especialistas da área. Veja, nos post de hoje, o porquê é importante realizar visitas periódicas ao oftalmologista em todas as fases da vida. Confira!

Ir ao oftalmologista é necessário em qualquer faixa etária
Crianças

A Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (Soblec) explica que, até mesmo durante os exames de pré-natal, é possível diagnosticar problemas de visão no bebê. Como nem sempre nas maternidades os recém-nascidos são examinados por oftalmologistas, é muito importante que eles sejam encaminhados para esse profissional, preferencialmente até os seis meses de idade.

Essa prática simples aumenta consideravelmente as chances de detecção de problemas – e esse diagnóstico precoce favorece muito o sucesso do tratamento. Já a detecção tardia de uma condição pode ocasionar a necessidade de tratamentos mais complexos ou mesmo gerar quadros irreversíveis. Por isso, esperar a criança crescer não é o recomendado – pelo contrário, ela deve ser estimulada desde cedo a adquirir esse cuidado e deve ir ao oftalmologista durante todo seu processo de alfabetização.

Adolescência

Já a adolescência, comumente, é o período em que se diagnosticam problemas refrativos de visão, como miopia e astigmatismo. Mesmo os jovens estão sujeitos ao ceratocone – patologia que provoca irregularidades da córnea. Embora não tenha cura, ele pode ser tratado para melhorar a visão, estabilizando o problema. Mas, para isso, é fundamental um diagnóstico precoce. Assim, nessa faixa etária, também é importante ir ao oftalmologista com frequência.

Idade adulta

Na idade adulta, sobretudo a partir dos 40 anos, as pessoas estão mais suscetíveis ao aparecimento de quadros de presbiopia (síndrome da visão cansada), que pode ser tratada com o uso de lentes especiais para esse problema.

Outra preocupação é com o glaucoma, doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo central. Estima-se que, no Brasil, haja mais de 1 milhão de pessoas com glaucoma – mas apenas 50% delas em tratamento. Em situações como essa, com problemas de evolução progressiva, ir ao oftalmologista com frequência aumenta as possibilidades de controle da doença que, quando não tratada, pode levar até mesmo à cegueira.

Uma pesquisa aponta que 36% dos brasileiros adultos nunca foram ao oftalmologista. Esse dado alarmante pode estar atrelado ao fato de que até 80% dos casos de cegueira poderiam ter sido evitados ou tratados. Em questão de saúde, realmente, a máxima que diz que  “é melhor prevenir do que remediar” pode ser aplicada. As visitas preventivas ao médico podem assegurar a proteção e saúde de seus olhos, e o tratamento adequado para evitar quadros severos que possam ocasionar a perda da visão.

Terceira idade

Os idosos também não devem descuidar dos exames oftalmológicos. Nessa fase, a percepção de cores, a qualidade da visão noturna e o campo visual costumam sofrer alterações.

Conforme o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), as doenças oculares com maior incidência na terceira idade são catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à longevidade (DMRI).

Além disso, com a perda na qualidade da visão, atividades cotidianas podem ser comprometidas, prejudicando a autonomia e a qualidade de vida – e causando sérios riscos, como queda e atropelamento ou mesmo uso incorreto de medicação. Para evitar esses riscos em potencial, controlar e tratar as patologias, é fundamental ir ao oftalmologista com regularidade.

Afinal, de quanto em quanto tempo se deve ir ao oftalmologista?

Alguns quadros clínicos oculares mais delicados demandam visitas mais frequentes ao oftalmologista. Entre elas estão: glaucoma, alta miopia (maior que 6 graus), ceratocone, Síndrome de Sjogren (olho seco), erosão corneana recorrente, pessoas em período pós-operatório de transplante de córnea e com diabetes.

Ir ao oftalmologista regularmente é indicado para todos, mas aqueles que possuem histórico familiar de doenças oculares devem questionar seu médico sobre a frequência adequada para as consultas de acompanhamento.

Portanto, você deve sempre retornar para um exame de rotina nos intervalos recomendados por seu oftalmologista, o que varia caso a caso. Comumente, a indicação é que seja feita, pelo menos, uma visita anual para realização de um checkup completo, a fim de o médico diagnosticar problemas ou disfunções logo no início de sua manifestação.

Lembre-se de que o acompanhamento frequente de um oftalmologista é uma segurança extra de que seus olhos estão saudáveis e que problemas oculares serão detectados precocemente, favorecendo o tratamento ou reversão. No caso do grau de lentes, por exemplo, ele poderá ser verificado e confirmado a cada visita, garantindo que você vá utilizar o modelo mais adequado para o seu quadro ocular atual, o que confere mais qualidade de vida e maior conforto ao utilizar suas lentes de contato.

Pense no quanto você usa seus olhos e em todas as coisas maravilhosas que existem para serem vistas. Não perca nenhum detalhe ou momento importante, cuide da saúde de seus olhos.

Com que frequência você costuma ir ao oftalmologista? Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe sua mensagem nos comentários.

Deixar Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *